Brilhe no Carnaval sem prejudicar o saneamento da cidade

Brilhe no Carnaval sem prejudicar o saneamento da cidade

O descarte incorreto de certos produtos bastante utilizados nesse período pode contaminar a rede coletora de esgoto e as fontes naturais de água

O Carnaval é indiscutivelmente a maior festa popular do Brasil. Nesse período, seja nos famosos desfiles de escolas de samba ou nos tradicionais blocos de rua, o uso de fantasias, adereços e pinturas é uma das marcas registradas dos quatro dias de folia que param o país. Porém, o descarte inadequado de materiais como glitter, purpurina, maquiagens e plásticos, quando não fabricados com componentes biodegradáveis, pode significar um aumento exponencial de poluição ambiental.

Em Salvador, terra de um dos mais intensos carnavais do país, o gerente da Unidade Regional da Federação da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), Flávio Lordello, explica o que ocorre quando esses resíduos vão parar na rede que coleta as águas das chuvas ou no sistema de esgoto do município. “No trajeto dos resíduos, existem sistemas de divisão de sólidos, areia, lama e outros subprodutos, que são devidamente separados mediante processamento diário de limpeza e remoção. O destino final são os aterros sanitários controlados, regulamentados e fiscalizados pelos órgãos ambientais em consonância com as premissas legais”, explica Lordello.

Contudo, apesar de parecer pequeno, o glitter, por exemplo, é composto de microplástico, que não é biodegradável. Sua composição mais vendida é produzida a partir de placas de PET ou PVC, metalizadas com alumínio e, depois, tingidas com cores diferentes. Quando se lava o corpo ou rosto coberto do produto, este escorre pelo ralo, mas é pequeno demais para ser filtrado no sistema de tratamento de esgoto. Assim, o caminho acaba sendo os rios e mares. Como se sabe, o plástico é um dos maiores inimigos dos peixes e mamíferos. “A poluição contribui, também, para a diminuição da eficiência do processo de tratamento, elevando a carga horária de trabalho para compensar esse prejuízo e garantir a disposição dos efluentes tratados com o grau adequado de pureza no retorno ao meio ambiente”, completa Lordello.

DICAS PARA ANTES, DURANTE E DEPOIS DO CARNAVAL

  • Prefira produtos sustentáveis, que sejam biodegradáveis e causem o mínimo de impacto ao meio ambiente.
  • Descarte os materiais sólidos nos recipientes de lixo doméstico, respeitando o processo de coleta seletiva (caso esteja disponível).
  • Não jogue insumos impróprios nas pias ou vasos sanitários, pois entrarão na rede pública de coleta de esgoto.

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account