Investimentos da Sanepar de R$ 1,6 bilhão levaram serviço de esgoto para 162 mil famílias paranaenses

De 2019 até agora, a Sanepar construiu 14 novas estações de tratamento de esgoto e implantou quase 4 mil km de rede coletora

Com informações de Sanepar

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) investiu R$ 1,65 bilhão somente em sistemas de esgotamento sanitário nos últimos três anos e até o primeiro trimestre de 2022. Esses investimentos beneficiaram 162.790 famílias paranaenses que passaram a ter o serviço de coleta de esgoto em seus imóveis. Para atender a todas essas novas ligações, a Sanepar construiu 14 novas estações de tratamento e implantou quase quatro mil quilômetros de rede coletora, sem falar na ampliação e na melhoria da eficiência dos sistemas já existentes.

As obras e investimentos da Sanepar elevaram o índice de esgotamento sanitário de 73,6%, em 2019, para 77,5% da população, no primeiro trimestre de 2022. E 100% do esgoto é tratado. Esse é um dos mais altos indicadores do Brasil, que tem 43% do esgoto coletado – e 55% de tratamento –, e aproxima os municípios paranaenses da meta de 90% estabelecida pelo novo marco de saneamento até o ano de 2033. Para chegar a esse patamar, os investimentos previstos pela Companhia em esgotamento sanitário são crescentes nos próximos anos. O Plano Plurianual de Investimentos prevê R$ 5 bilhões de 2022 a 2026.

“Esses investimentos traduzem a preocupação e o empenho da Sanepar em levar aos paranaenses melhor qualidade de vida. Saneamento é sinônimo de saúde pública”, afirma o diretor-presidente da Sanepar, Claudio Stabile.

Na Região Oeste, a Sanepar iniciou em maio as obras que vão levar pela primeira vez serviços de coleta e tratamento de esgoto para moradores de Capitão Leônidas Marques. Os investimentos de R$ 37,8 milhões são para construção de uma moderna estação de tratamento de esgoto, assentamento de 51 km de rede coletora e interligação de 2.372 imóveis ao sistema. Prevista para ser concluída em agosto de 2023, a obra irá assegurar inicialmente atendimento a 52% da população.

No Noroeste, os investimentos de R$ 6,4 milhões são em obras de de ampliação do esgotamento sanitário em Doutor Camargo. A rede de esgoto está sendo levada para os bairros Conjunto Mutirão 5, Jardim América, Jardim Nova América, Jardim Santa Clara e Loteamento Bela Vista e beneficiará cerca de 870 famílias. Estão sendo implantados mais de 17,4 km de tubulações, entre rede coletora, interceptor e linha de recalque, além da construção de uma estação elevatória. Com estas obras o índice de cobertura passará de 41% para 70% da população urbana.

Uma das famílias beneficiadas com essa ampliação, em Doutor Camargo, é a de Heitor Manoel Rosa, de 74 anos, morador do Jardim América. Ele acompanhou de perto a implantação da rede coletora de esgoto em frente ao seu imóvel. Chamou a sua atenção o uso de equipamento, que faz a cravação de tubulação por baixo da terra, sem a necessidade de abertura de valas. “Essa obra vai trazer benefício à saúde, que é mais importante que dinheiro. E tem essa modernidade de não precisar abrir valeta com trator. Eles não estragam nem a calçada nem o asfalto”, afirma.

 

MAIOR ESTAÇÃO DO PARANÁ – Além da modernidade na implantação e ampliação do esgotamento sanitário em cidades menores, a Sanepar também aumentou em 70% a capacidade de tratamento da estação Belém, em Curitiba, a maior do estado. Os recursos de R$ 140 milhões asseguram atender o crescimento da demanda até 2033 e também modernizam a estrutura. Atualmente, a ETE Belém faz o tratamento de esgoto de cerca de 800 mil moradores de Curitiba e São José dos Pinhais.

A Sanepar utilizou pela primeira vez aço inox na execução de tanques que atuam como decantadores primários. Esse material possibilita instalação mais rápida e diminui a manutenção em seu funcionamento. Outro benefício é que os novos tanques modificam o processo de tratamento da ETE Belém, tornando-o mais eficiente do ponto de vista energético. É que a redução da carga orgânica na primeira fase de tratamento demanda menos energia elétrica ao longo do processo.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Confira também nossas publicações

Veja todas nossas
edições anteriores