Grupo de trabalho da Câmara Técnica de Gestão Empresarial da Aesbe se reúne para tratar sobre os indicadores do saneamento

Por Rhayana Araújo – assessora de Comunicação da Aesbe 

Na manhã desta quarta-feira (19), membros de um Grupo de Trabalho da Câmara Técnica de Gestão Empresarial (CTGE) da Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe) se reuniram, por videoconferência, para debater sobre os indicadores do saneamento e aperfeiçoamento da divulgação dos dados.

Durante o encontro, servidores da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) apresentaram como a empresa compila os dados do Sistema Nacional de Informação Sobre Saneamento (SNIS). O intuito da reunião é buscar elementos que auxiliem a Aesbe na sua área de atuação com as empresas associadas.

Participaram do encontro virtual o secretário executivo em exercício da Aesbe, Antonio Costa de Lima Junior; o coordenador da CTGE e superintendente de Planejamento Integrado da Sabesp, Dante Ragazzi Pauli; o secretário da Câmara e assessor de Planejamento da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), Filipe Alcioni; a gerente de Planejamento da Casan e membra da CTGE, Iris Lima Merizi; a analista de Gestão e Planejamento Estratégico da Sabesp e membra da CTGE, Janaina Barbosa; a analista de Gestão da Sabesp e membra da CTGE, Sebastiana Alves da Silva Rodrigues. 

Para fazer a apresentação dos indicadores da Sabesp, a reunião contou com as presenças da gerente do Departamento de Planejamento Integrado de Informação, Cristina Gonçalvez Tabosa Alves; do gerente do Departamento de Planejamento Estratégico, João Paulo Tonello; e de Cesar Augusto Cardoso d’Ávila, do Departamento de Planejamento Integrado de Informação.

O coordenador da Câmara Técnica de Desenvolvimento Operacional (CTDO) e superintendente Operacional da Região Metropolitana de Goiânia da Companhia de Saneamento de Goiás (Saneago), Alexandre Gomes, participou da reunião para levar acúmulos à CTDO na execução de uma Nota Técnica em que a câmara sugere a criação de variáveis no SNIS para um balanço hídrico nacional. 

Dante Ragazzi Pauli fala sobre as dificuldades no processo. “Uma primeira dificuldade é que a própria Sabesp, em seus contratos de programa, adota indicadores que não são os que constam no SNIS, por exemplo, nós adotamos aqui a cobertura de água e de esgotos, fazendo referência aos imóveis atendidos e não à população. Mas, ainda assim utilizamos os dados do SNIS como base e este trabalho nos permite ver onde estão os desafios e nos possibilita analisar a performance desses vários tipos de prestadores de serviços ao longo do tempo.”, alerta.

O grupo irá aperfeiçoar o método já aplicado na Sabesp, de forma que a Aesbe possa organizar e gerir melhor os dados das empresas. “O objetivo da reunião é aproveitar melhor os indicadores do saneamento para auxiliar o planejamento das nossas associadas”, afirma o secretário executivo em exercício da Aesbe, Antonio Costa de Lima Junior.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Confira também nossas publicações

Veja todas nossas
edições anteriores