Concasan: “cerveja de esgoto” simboliza mensagem da importância de reutilização da água

Por Assessoria de Comunicação da Concasan

Um brinde com uma cerveja produzida a partir de água recuperada no sistema de tratamento de esgoto do distrito de Orange County, na Califórnia, fechou a palestra da manhã desta sexta-feira do Congresso Catarinense de Saneamento.

O brinde foi proposto por Carlos Arias, pesquisador da Universidade de Aahrus, da Dinamarca, estudioso da área de desenvolvimento e otimização de sistemas de tratamento descentralizado e processos de remoção de contaminantes da água.

Apresentando casos de diversos países, o professor mostrou à plateia diferentes métodos e processos de tratamento descentralizado do esgoto.

Desde o início de sua fala ressaltou a satisfação de conversar com uma plateia repleta de estudantes, reforçando ao longo de sua palestra a importância dos futuros profissionais e a mensagem que constantemente permeou o Congresso Catarinense de Saneamento: a importância do tratamento do esgoto não apenas para que seja possível devolver efluente para a natureza, mas como uma forma de reutilizar a água e diversos outros subprodutos (como o biogás, e o fósforo).

Depois de contextualizar o quanto o mundo precisa ainda avançar nas condições de oferta de água potável e de tratamento de esgotos, o pesquisador da Dinamarca apresentou um conjunto de tecnologias, processos e casos práticos de tratamento descentralizado, que associam processos naturais e tecnologias para recuperar as águas residuais.

Mostrou, por exemplo, como essa sistemática foi fundamental para atendimento de comunidades devastadas da Tailândia após o tsunami.

“A água é um recurso que precisamos recuperar. Precisamos valorizar a água e tudo que há nela ou que resulta dos processos de recuperação”, resumiu, dizendo-se honrado com a presença de estudantes e jovens que darão continuidade aos estudos e ao desenvolvimento de inovações para tornar essa meta realidade.

“Atualmente somente 43% do esgoto coletado nos municípios listados no Atlas de Esgoto de 2017 da ANA são tratados. Temos o grande desafio de melhorar essa estatística”, destacou em sua fala o professor Marcos Von Sperling, da Universidade Federal de Minas Gerais, também palestrante na manhã desta sexta-feira no Concasan.

Autor de livros-texto publicados em três idiomas e de cerca de 400 trabalhos em anais de eventos e em periódicos científicos, o professor trouxe ao encontro um panorama geral sobre as atuais tecnologias de tratamento, abordando a eficiência dos diferentes processos para atendimento das exigências da Resolução 357 do Conama, que estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes nos corpos d´água.

“Atualmente o Brasil é um dos países mais avançados em termos de tecnológicas anaeróbias de tratamento, mas ainda temos muito a avançar”, disse Sperling. “É uma satisfação muito grande ser convidado a falar nesse evento, e estar em frente a essa plateia lotada, uma massa cinzenta que com certeza dará sua colaboração na melhoria das condições de saneamento do país”, disse o pesquisador valorizando o público que lotava o principal auditório do Centro de Eventos de Canasvieiras.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Confira também nossas publicações

Veja todas nossas
edições anteriores