Novo app mostra a real situação da produção e das perdas de água em cada cidade do país

Portal do Saneamento Básico
02/09/2020

Agora qualquer pessoa pode ter acesso às informações referentes ao saneamento básico de sua cidade por meio do celular e do computador

A SmartAcqua, startup que desenvolveu uma solução inovadora  para a gestão e combate de perdas de água, voltada para empresas de saneamento básico, lançou um aplicativo (app) que permite ao cidadão comum, de qualquer localidade do Brasil, verificar qual é o volume de água retirado dos mananciais hídricos de sua cidade, quanto desse total é realmente bem utilizado e quais os benefícios que poderiam ser alcançados se fossem tomadas ações corretivas pelos gestores públicos e privados da área de saneamento.

O App SmartAcqua pode ser acessado por smartphones com sistemas operacionais iOS e Android bastando ser baixado gratuitamente por meio das App Store e Google Play respectivamente, ou visualizado pelo computador (https://smartacqua.com/pt/solucoes/ ).

Um morador de Piracicaba, interior de São Paulo, por exemplo, pode verificar pelo aplicativo que a sua cidade produz mais de 57,2 milhões de m³ de água por ano, sendo que mais de 28,4 milhões de m³ desse total são perdidos (dados do SNIS 2018). Se houvesse uma redução de 50% dessas perdas, seria possível abastecer mais de 91 mil pessoas por dia, representando para a empresa de saneamento daquela cidade um crescimento da receita operacional da ordem de R$ 29,8 milhões por ano.

“Essa foi a forma que encontramos de incentivar cada cidadão a ter maior conhecimento sobre como a questão da água vem sendo conduzida em seu município e o que poderia ser feito para combater as perdas e desperdícios desse bem tão precioso”, destaca Enéas Ripoli, sócio-fundador e CTO da SmartAcqua.

Perdas de Água no Brasil

De acordo com o empresário, é importante que a população saiba que no Brasil são extraídos mais de 16 bilhões de m³ de água por ano dos mananciais hídricos (segundo dados da SNIS 2018) e transformados em água potável, mas apenas metade desse total é bem utilizado. A outra metade, chamada de “perdas de água”, representa um enorme desperdício, cujas consequências danosas são sentidas por toda a sociedade, além dos prejuízos causados ao meio ambiente. “Não podemos ficar indiferentes diante desta situação e só nos darmos conta disso, de repente, quando falta água nas nossas torneiras. Não é com ações isoladas e mínimas que iremos preservar a água para a nossa sobrevivência e a das futuras gerações”, destaca Ripoli.

Hélio Samora, sócio-fundador e CEO da SmartAcqua, reitera que a conscientização da população sobre esse assunto é fundamental. “Com maior conhecimento sobre o que ocorre na sua cidade, os cidadãos terão argumentos fortes para cobrar dos gestores públicos e privados as ações efetivas de combate à má utilização da água”, afirma Samora. Vale destacar ainda, segundo o empresário, que muitas doenças e mortes são causadas pela falta de saneamento e de tratamento adequado da água, assim como do esgoto gerado. “Não podemos continuar convivendo com enormes índices de ineficiência e perdas. Toda a sociedade paga por isso e, inevitavelmente, sofre as consequências”, finaliza Samora.

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?