Mercado reduz projeção de inflação em 2020 para 3,58%

Valor Econômico
13/01/2019

Por Felipe Frisch

A meta de inflação a ser perseguida pelo BC é de 4,00% para 2020

A mediana das projeções dos economistas do mercado para a inflação oficial em 2020 caiu de 3,60% para 3,58%, segundo o relatório Focus, do Banco Central (BC), divulgado nesta segunda-feira. Para 2021, o ponto-médio das expectativas para oÍndice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) manteve-se em 3,75%.

Entre os economistas que mais acertam as previsões, os chamados Top 5, de médio prazo, a mediana para a inflação oficial permaneceu em 3,50% para 2020 e 3,75% para 2021. Para os próximos 12 meses, a pesquisa indicou recuou, de 3,69% para 3,58%.

A meta de inflação a ser perseguida pelo BC é de 4,00% para 2020, 3,75% em 2021 e 3,50% para 2022, sempre com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Na última sexta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que inflação oficial brasileira acelerou para 1,15% em dezembro, encerrando 2019 em 4,31%, acima da última pesquisa Focus para o período, que apontava mediana de 4,13%.

A taxa mensal foi a mais alta para dezembro desde 2002, quando a eleição presidencial pressionou o câmbio e puxou a alta de preços. Em novembro de 2019, o IPCA havia avançado 0,51%.

PIB em 2020 e 2021

A mediana das projeções do mercado para o crescimento da economia brasileiraem 2020 permaneceu em 2,30%, de acordo com o Focus. Para 2021, o ponto-médio das expectativas para o Produto Interno Bruto (PIB) do país também permaneceu inalterado, em 2,50%.

A mediana das projeções do mercado para o crescimento da economia em 2019 permaneceu em 1,17%, nível em que está há três semanas agora, segundo estimativas compiladas pelo Banco Central que dão origem ao Focus. O dado oficial, calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em suas Contas Nacionais Trimestrais, será conhecido no dia 4 de março.

Até lá, as eventuais atualizações das apostas dos economistas seguirão sendo informadas pela autoridade monetária apenas por meio do seu Sistema de Expectativas de Mercado, que também é atualizado às segundas-feiras.

Juros

 A mediana das estimativas para a taxa básica de juros no fim de 2021 caiu de 6,50% ao ano para 6,25% ao ano entre os economistas do mercado e também entre os que mais acertam as previsões, os chamados Top 5, de médio prazo, segundo o Focus.

Para 2020, a projeção para a Selic permaneceu em 4,50% ao ano entre os economistas em geral e 4,25% ao ano entre os campeões de acertos.

Dólar

A mediana das estimativas para o dólar no fim deste ano foi cortada de R$ 4,09 para R$ 4,04, segundo o Focus. Para 2021, o ponto-médio das projeções permaneceu em R$ 4,00.

Entre os economistas que mais acertam as previsões, os chamados Top 5, de médio prazo, a mediana das apostas recuou de R$ 4,06 para R$ 4,00 nos encerramentos de 2020 e de 2021.

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account