Emissões de debêntures incentivadas têm queda de 41% no 1º trimestre

Valor Econômico  
29/04/2020

Por Mariana Ribeiro

O montante alcançou até março deste ano o valor de R$ 3,14 bilhões

As emissões de debêntures incentivadas alcançaram até março deste ano o valor de R$ 3,14 bilhões, informou a Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia. Esse montante ficou abaixo dos R$ 5,3 bilhões alcançados no mesmo período do ano passado, uma redução de 40,75%.

No mês passado, o volume distribuído foi de R$ 1,1 bilhão. Instituídas pela lei 12.431/2011, as debêntures incentivadas são títulos de dívida, de médio ou longo prazo, emitidos por empresas para o financiamento de projetos de infraestrutura definidos como prioritários, com benefícios tributários.

Segundo nota da SPE, o prazo médio das emissões vem apresentando tendência de alta desde 2016, atingindo 16,6 anos no período de janeiro a março deste ano. Já no que se refere ao custo, foi constatada trajetória de redução desde 2015, em linha com a queda da curva de juros no mercado. No período de janeiro a março, a remuneração média foi de IPCA + 4,7% ao ano.

As debêntures incentivadas continuam apresentando liquidez no mercado secundário superior ao das debêntures não incentivadas. Em março, apresentaram giro de 6,9% do estoque, contra 5,6% das não incentivadas.

 

 

 

 

 

 

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?