Confira as 11 MPs que caducam se não forem votadas em 3 semanas

Três delas foram assinadas pelo presidente Jair Bolsonaro, enquanto as outras são da gestão Michel Temer

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

15 de maio de 2019 | 10h05

BRASÍLIA – Onze medidas provisórias correm o risco de perder validade se não forem votadas no Congresso nas próximas três semanas, três delas assinadas pelo presidente Jair Bolsonaro: a da reforma administrativa, a que impõe medidas contra fraudes em benefícios do INSS e a que trata sobre o pagamento de gratificações da Advocacia-Geral da União (AGU).

Das normas assinadas pelo ex-presidente Michel Temer, oito caducam até o dia 3 de junho, entre elas a que abre o setor aéreo para o capital estrangeiro e a que altera o marco legal do saneamento básico no País.

Confira abaixo a tabela com as 11 medidas provisórias que correm o risco de perder validade se não forem votadas no Congresso nas próximas três semanas.

Em Comissão Especial com senadores e deputados

862/2018 – Altera o Estatuto da Metrópole para criar a região metropolitana do Distrito Federal.

Expira em 14 de maio.

864/2018 – Obriga a União a transferir R$ 225,7 milhões a Roraima para auxiliar nas ações relativas à intervenção federal no Estado.

Expira em 27 de maio.

865/2018 –  Abre crédito extraordinário no valor de R$ 225,7 milhões para o socorro financeiro a Roraima durante a intervenção federal no Estado.

Expira em 29 de maio.

872/2019 – Amplia para até 4 de dezembro de 2020 o prazo de pagamento de gratificações destinadas a servidores da Advocacia-Geral da União (AGU).

Expira em 03 de junho.     

Na Câmara dos Deputados

863/2018 – Abre o setor aéreo ao capital estrangeiro. Com modificações, retoma franquia mínima de bagagem aérea e exige cota de 5% de rotas regionais para voos.

Expira em 14 de maio.

866/2018 – Divide as atribuições da Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) para criar a NAV Brasil.

Expira em 30 de maio.

867/2018 – Estende até 31 de dezembro de 2019 o prazo para adesão ao Programa de Regularização Ambiental (PRA).

Expira em 03 de junho.

868/2018 – Altera o marco legal do saneamento básico e obriga municípios a fazer chamamento público para contratos no setor.

Expira em 03 de junho.

869/2018 – Estabelece regras para proteger informações de cidadãos gerenciadas por empresas de direito público ou privado.

Expira em 03 de junho.

870/2019 – Organiza a estrutura administrativa do governo e sofreu alterações, como a recriação de dois ministérios: Cidades e Integração Nacional.

Expira em 03 de junho.    

871/2019 – Estabelece medidas para combater fraudes e altera regras para benefícios previdenciários e assistenciais do INSS. 

Expira em 03 de junho.

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account