Caesb produz máscaras de proteção contra o coronavírus

Correio Brasiliense
14/04/2020

Companhia pede doação de insumos para aumentar a produção de equipamentos. Objetivo é doar excedente para Secretaria de Saúde

A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb) está produzindo, com uma impressora 3D, máscaras “face shield” para proteger os funcionários que estão na linha de frente para a continuidade dos serviços essenciais. A empresa pretendeexpandir a produção e, no futuro, doar equipamentos para a Secretaria de Saúde.

As máscaras são compostas por uma viseira transparente – feita com folha de acetato –, e um suporte para a cabeça produzido na impressora. A ideia é que a Companhia complemente, com essas máscaras, os equipamentos de proteção individual (EPIs) já usados pelos empregados.

O trabalho de produção é coordenado pelos engenheiros mecânicos da Caesb, Marcos Barboza, gerente de Engenharia e Desenvolvimento, e Eduardo Burgos, coordenador de Desenvolvimento da Manutenção.

Inicialmente, a produção dos protetores faciais é para utilização dos operadores das Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs). A expectativa é entregar as máscaras ainda esta semana para os operadores da Caesb. Com resultados positivos, o objetivo da Companhia é expandir a produção e, com ajuda de doações, fazer máscaras para outros profissionais.

O Governo do Distrito Federal (GDF) afirmou que esta é uma iniciativa importante para proteger a vida dos profissionais que oferecem à população serviços essenciais que não podem ser interrompidos.

Como funciona a produção

No computador, a base da máscara é desenhada em formato 3D e enviada para a máquina, onde é impressa com 65 finas camadas de plástico. A viseira é cortada manualmente e nada mais é que uma folha de acetato. Depois, é feita a montagem.

Os primeiros protótipos foram feitos de plástico ABS, mas os empregados fizeram adaptações e mudaram para o PLA – por ser mais barato e apresentar a mesma eficiência. Esse tipo de plástico é usado na fabricação de embalagens de cosméticos, de alimentos, garrafas, vidros, canetas, produtos médicos, entre outros.

Não houve gasto financeiro adicional na fabricação das máscaras para a Caesb, uma vez que o material utilizado está disponível em estoque na empresa. Antes do coronavírus, o plástico e a impressora eram utilizados para a produção de peças de fundição dos equipamentos da Caesb e peças em plástico para a manutenção industrial. O aparelho eletrônico moderno é americano e foi adquirido pela Companhia no fim de 2018.

Todo o processo para a fabricação de duas máscaras leva duas horas e as peças já saem da impressora com o nome da Caesb. O custo de cada item é cerca de R$ 15 reais. As primeiras beiravam os R$ 40, mas as adaptações feitas pelos empregados permitiram a redução significante dos custos.

Alta demanda

Com o aumento de casos de Covid-19, a alta demanda por esse tipo de material – considerado essencial para o trabalho dos profissionais da saúde – provocou escassez no mercado.

Pensando nisso, a Caesb pensa em produzir máscaras “face shields” para doar à Secretaria de Saúde do Distrito Federal, fazendo com que esses EPIs cheguem às mãos de quem vai salvar vidas, atendendo casos de coronavírus.

Mas, para isso acontecer, a Caesb precisa de doações para adquirir novos materiais usados na produção e até uma nova impressora em 3D. Interessados em ajudar podem entrar em contato por meio do telefone 3312-2062, ou dos e-mails eduardoburgos@caesb.df.gov.br ou marcosbarboza@caesb.df.gov.br.

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?