Brasil adere a padrão mais exigente do FMI para divulgação de estatísticas

Valor Econômico
12/11/2019

País é primeiro latino-americano a se adequar a padrão criado após a crise de 2008

Degrau O Brasil acaba de aderir a um padrão do FMI mais avançado para a disseminação de estatísticas econômicas e financeiras. Chamado SDDS Plus, esse padrão foi criado em 2012, após a crise financeira mundial, e tem requisitos adicionais ao padrão anterior, o SDDS, ao qual o Brasil aderiu em 2001.

Ordem O SDDS foi criado em 1996, para guiar membros do FMI no acesso a mercados de capitais internacionais, fomentando a transparência dos dados com produção regular de estatísticas comparáveis internacionalmente. Dos 189 membros do FMI, 56 subscrevem o SDDS. Com o Brasil, primeiro latino-americano a aderir, o Plus tem 21 países.

Planilhas As estatísticas do Brasil que compõem o SDDS Plus são produzidas por Banco Central, Ministério da Economia e IBGE. Começou em fevereiro a verificação dos requisitos para que o país aderisse ao Plus. O processo foi feito pelo FMI e, no Brasil, teve coordenação do BC.

 

  

 

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?