Área sem seca relativa no Ceará volta a crescer em fevereiro, mas situação dos açudes ainda é crítica

Por Assessoria de Comunicação da Cagece

O mapa mais recente do Monitor de Secas Nordeste indica que a área sem seca relativa cresceu 42% de janeiro para fevereiro deste ano, isto é, no primeiro mês, a área não afetada era de 42,03% passando para 59,71%. Além disto, o nível mais grave da estiagem – seca excepcional – manteve-se sem variação.

Entre os principais fatores que contribuíram para a variação positiva foram as chuvas do começo do ano. Em janeiro, as precipitações no estado como um todo ficaram 10,1% acima da média e, em fevereiro, 46,1%. Em ambos os períodos, as macrorregiões mais beneficiadas foram o Maciço de Baturité e os litorais de Fortaleza e Norte.

Conforme o Monitor de Secas, a área com a situação mais grave está localizada mais ao sul do Ceará, justamente onde está o Cariri, única macrorregião que apresentou chuvas abaixo da média histórica nos dois primeiros meses do ano, com -25,7% e -31,7% em janeiro e fevereiro, respectivamente.

Apesar dos números apresentados pelo mapa mais recente do processo de acompanhamento regular e periódico da situação da seca no Nordeste e em Minas Gerais, dos 155 açudes do Ceará monitorados pela Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh), 95 estão com volume abaixo dos 30%. O Castanhão, principal reservatório do Estado, está com apenas 3,57% da sua capacidade total.

Diante do cenário, o uso responsável da água é de extrema importância, já que o prognóstico mais recente da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) para o período chuvoso de março a maio de 2019 indicou 40% de probabilidade de chuvas em torno da normal climatológica, 35% para a categoria abaixo da média e 25% acima dela. Porém, os desvios percentuais no centro-norte do Estado, principalmente na faixa litorânea, tendem a ser maiores do que os observados no centro-sul.

Monitor de Secas

O Monitor de Secas é um processo de acompanhamento regular e periódico da situação da seca no Nordeste, cujos resultados consolidados são divulgados por meio de mapas.

Mensalmente, informações sobre a situação de secas são disponibilizadas até o mês anterior, com indicadores que refletem o curto e o longo prazo, indicando a evolução da seca na região. Além do site, é possível acompanhar os dados por meio de aplicativo gratuito para smartphones de todas as plataformas.

Para conhecer mais sobre o Monitor de Secas, clique aqui

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account