O coronavírus já é considerado uma pandemia mundial. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a atual variação do vírus, chamada COVID-19, já foi responsável por mais de 10 mil mortes e 245 mil contaminações em mais de 160 países e territórios. Inicialmente, ele provoca sintomas de resfriado, que, nos piores casos, podem gerar complicações no sistema respiratório. O vírus apresenta uma grande capacidade de transmissão, que costuma ocorrer pelo contato próximo a indivíduos ou superfícies contaminadas.

Localmente, as companhias estaduais de saneamento filiadas à Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe) estão mudando hábitos de trabalho para mitigar a transmissão da doença. Essas iniciativas devem ser seguidas e ampliadas a todas as companhias de saneamento do país. Entre essas medidas, destacam-se:

  • A potencialização do atendimento ao cliente pelos canais digitais, por meio de aplicativos, chats em sites e centrais telefônicas, como principais formas de reduzir a aglomeração de pessoas nas empresas sem prejudicar o atendimento à população.
  • Para aqueles que precisam estar presentes no ambiente de trabalho, é necessária a higienização das mãos lavando-as com água e sabão. Deve-se, ainda, limpar objetos como celulares, teclados e mouses. 
  • Catracas com liberação biométrica também deverão estar temporariamente desligadas, uma vez que o contágio pode se dar pelo contato com esses dispositivos. 
  • É necessário evitar eventos coletivos, como treinamentos corporativos, reuniões e visitas técnicas. Nas tarefas diárias, recomenda-se que os colaboradores mantenham a distância mínima de 1,5 metros entre si. 
  • É importante, quando possível, a liberação do teletrabalho (home office) para funcionários que voltaram do exterior nos últimos dias, estejam apresentando sintomas de gripe ou façam parte do grupo de risco, acima de 60 anos. 
  • Suspensão dos cortes no serviço de abastecimento. 
  • Suspensão ou limitação do atendimento presencial ao público.
  • Mudanças no horário de funcionamento para que os funcionários que utilizam os transportes públicos não precisem de condução nos horários de pico. 

Essas medidas foram definidas por meio da compilação das ações que já estão sendo adotadas por algumas de nossas associadas: Embasa, Cagepa, Copasa, Cagece, Corsan, Caesb, Sanepar, Sanesul, Saneago, Corsan, Casan, Sabesp, Cesan e Deso. A Aesbe agradece a todas pela colaboração.

A Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento (Aesbe) se coloca à disposição de suas associadas para esclarecer eventuais dúvidas a respeito do COVID- 19.

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?