Projeto de pesquisa da UEL estuda alternativa para o tratamento do chorume

Portal Saneamento Básico
13/03/2020

Um projeto de pesquisa do departamento de Construção Civil da UEL (Universidade Estadual de Londrina) pesquisa alternativas para o tratamento de chorume – também chamado de lixiviado.

O chorume possui alta concentração alta concentração de matéria orgânica, de nitrogênio e de nitrogênio amoniacal, que são considerados poluentes e possuem propriedades corrosivas.

O projeto é coordenado pela professora Deize Dias Lopes, que pesquisa o tratamento de lixiviado desde 2004 e participa, há quase 20 anos, do monitoramento de aterros em Londrina e região.

A pesquisa avalia o impacto da ação do reagente de Felton, uma fórmula de peróxido de hidrogênio e um catalisador de ferro, usada para oxidar impurezas ou águas residuais. Esse reagente já é aplicado no lixiviado de aterro sanitário, em processo físico-químico, na remoção de matéria orgânica resistente.

Tratamento do lixiviado

Contudo, Caio Rodrigues, estudante do doutorado em Engenharia Civil da UEL, explica que o reagente de Fenton no tratamento de lixiviado de aterro é eficiente, mas apresenta um importante efeito colateral: a geração de grande quantidade de lodo. Por isso, os pesquisadores da UEL estão debruçados sobre o desafio de reduzir o lodo quando do tratamento do líquido. “Quanto menos lodo o tratamento gerar, melhor vai ser a operação no aterro sanitário”, afirma.

Fonte: Bonde.

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?