Orçamento do FGTS destina R$ 65,5 bilhões para habitação popular em 2020

Valor Econômico
31/12/2019

Por Ribamar Oliveira

Com os recursos, o Ministério do Desenvolvimento Regional espera financiar a construção de 526.078 unidades habitacionais, gerando 1,303 milhão de empregos

O Orçamento Operacional do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) destinou R$ 65,5 bilhões para a área de habitação popular em 2020, de acordo com a instrução normativa 44, assinada pelo ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, e publicada na edição desta terça-feira (31) do “Diário Oficial da União” (DOU).

Com os recursos, o Ministério do Desenvolvimento Regional espera financiar a construção de 526.078 unidades habitacionais, gerando 1,303 milhão de empregos.

Do total dos recursos, R$ 40,28 bilhões serão destinados a financiamento a pessoas físicas ou jurídicas que beneficiem famílias com renda mensal bruta limitada a R$ 4 mil. O orçamento do FGTS prevê um montante de R$ 9 bilhões para descontos nos financiamentos habitacionais a pessoas físicas.

O programa de apoio à produção de habitações terá R$ 26 bilhões, enquanto outros R$ 26 bilhões serão destinados à Carta de Crédito Individual. O programa Pró-Moradia terá R$ 1 bilhão e R$ 500 milhões serão destinados à Carta de Crédito Associativo, enquanto R$ 2,5 bilhões irão para o programa Pró-Cotista. Outros R$ 500 milhões irão para as demais operações habitacionais com pessoas físicas e jurídicas.

O Ministério do Desenvolvimento Regional informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que, em 2019, foram destinados R$ 73 bilhões do FGTS para a habitação popular, mas que a previsão inicial era de R$ 66 bilhões.

“Os valores podem sofrer alterações no decorrer do ano, com remanejamentos de fundos de outras áreas ou suplementações de créditos aprovados pelo Conselho Curador do FGTS em decorrência da demanda”, explicou a assessoria.

Saneamento básico

O orçamento do FGTS também destinou R$ 4 bilhões para obras de saneamento básico, de acordo com a instrução normativa 45, assinada pelo ministro Canuto.

Os financiamentos serão realizados no âmbito do Programa Saneamento para Todos e atenderão mutuários públicos e privados. A previsão do governo é beneficiar 4,9 milhões de pessoas e gerar 92,4 mil empregos.

De acordo com a instrução normativa, os projetos de saneamento a serem financiados podem ser voltados à garantia de abastecimento de água, esgotamento sanitário, manejo de resíduos sólidos e de águas pluviais, redução e controle de perdas de águas, drenagem urbana, prevenção e recuperação de mananciais, além de estudos e projetos para o setor.

 

 

 

 

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?