Cedae tem dez interessados, diz governo

Valor Econômico
25/01/2020

Por Rodrigo Carro e Alessandra Saraiva

Entre os interessados que solicitaram visitas técnicas estão operadores do setor, grandes grupos brasileiros e grupos financeiros

Cerca de dez “grandes grupos” manifestaram interesse até agora em participar da licitação das concessões de serviços da Companhia Estadual de Águas e Esgotos (Cedae), informou na sextafeira o secretário da Casa Civil do Estado do Rio de Janeiro, Nicola Miccione, em seminário transmitido via internet. A versão em inglês do edital da licitação foi publicada na web também na sexta.

Originalmente, o edital da licitação dos serviços de distribuição de água e coleta e tratamento esgoto em quatro blocos de municípios fluminenses foi publicado em 29 de dezembro. As visitas técnicas às instalações da Cedae nas cidades que compõem os quatro blocos estão previstas para começar na quarta-feira.

De acordo com o governo fluminense, até sexta-feira, seis empresas tinham formalizado pedidos de visitas técnicas. Ao todo, estavam agendadas até então 1.446 visitas a instalações da Cedae em 35 municípios – 19 da Região Metropolitana do Rio de Janeiro e 16 do interior.

Em live promovida pelo Instituto para Reforma das Relações entre Estado e Empresa (IREE), o secretário da Casa Civil informou que, entre os interessados que solicitaram visitas técnicas, estão “grandes grupos brasileiros”, operadores do setor de saneamento e “grupos financeiros”. O leilão das concessões está previsto para 30 de abril e será realizado na B3.

Projeções do governo fluminense apontam para um impacto financeiro de R$ 107,7 bilhões ao longo do período de concessão de 35 anos dos serviços atualmente prestados pela Cedae nas 35 cidades incluídas na licitação.

Nesse cálculo entram R$ 10,6 bilhões a serem pagos como outorga mínima fixa e mais R$ 10,4 bilhões em outorga variável mínima. Os investimentos previstos são da ordem de R$ 30 bilhões.

E, também, R$ 56,7 bilhões em custos operacionais (opex, na sigla em inglês).

Durante o seminário virtual organizado pelo IREE, Miccione divulgou também estimativa baseada num cenário mais amplo que leva em consideração outras variáveis além de outorgas, investimentos e custos operacionais. Por esse cálculo, o impacto econômico das concessões da Cedae à iniciativa privada poderia chegar a quase R$ 1 trilhão ao longo de 35 anos.

A projeção leva em conta não só efeitos diretos do projeto – como os investimentos de R$ 30 bilhões ao longo do período de concessão – mas também a repercussão da melhoria nos serviços de saneamento no turismo (R$ 2,7 bilhões), no mercado imobiliário (R$ 12,4 bilhões) e na produtividade e sistema de saúde (R$ 50,9 bilhões), entre muitos outros itens.

Na sexta-feira pela manhã, em entrevista ao telejornal “Bom dia Rio”, da TV Globo, o presidente da Cedae, Edes Fernandes de Oliveira, afirmou que espera para os próximos dias a solução de problemas envolvendo abastecimento e qualidade de água fornecida pela empresa no Estado do Rio de Janeiro.

O executivo negou que a situação vá prejudicar o andamento da licitação das concessões da estatal fluminense previsto para abril. A companhia presta serviços em 64 dos 92 municípios do Estado.

 

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?