BNDES manterá atuação em saneamento, logística e energia, diz Levy

Por Marta Watanabe e Carolina Freitas – Valor Econômico

28/05/2019 – 13:52

SÃO PAULO – O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Joaquim Levy, ressaltou que os investimentos do Brasil estão na mínima histórica em várias áreas. A de saneamento, destacou, recebe um terço dos investimentos que deveria, consumindo apenas 0,2% do PIB anualmente.

Na China, a taxa é de 1,1% do PIB. Segundo dados relatados por ele, o investimento médio anual no Brasil de 2007 a 2016 foi de R$ 11,6 bilhões em saneamento.

O Programa de Parcerias de Investimentos (PPI) é um exemplo do quanto o governo pode contribuir na elevação de investimentos, fazendo bons projetos.

O “novo BNDES”, diz ele, se insere nisso e deve continuar cada vez mais envolvido em áreas como saneamento, logística e energia elétrica. Ele lembra os desembolsos do BNDES também caíram e devem ficar este ano no total em 1% do PIB.

Ele lembra que, ao fim do mês, o banco devolverá R$ 30 bilhões ao Tesouro Nacional, a título de antecipação de pagamento de empréstimos. Essa medida, entre outras, diz ele, se deve a uma transformação fundamental do mercado. Hoje, explica, com a queda da Selic, muda a demanda por recursos do BNDES, que agora passa a ter novas formas de atuação. No campo dos investimentos, auxiliando governos estaduais nas privatizações e concessões, atuando mais como banco de inteligência do que emprestando dinheiro barato com subsídios.

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?