Toronto, a capital do Canadá, desperdiça mais de 15 mil piscinas olímpicas de água por ano, aponta estudos

Portal Saneamento Básico
16/06/2021

Um novo estudo da Associação de Construção Civil e Residencial de Ontário (RCCAO) destaca o quanto de água é desperdiçada em Toronto todos os dias.

O estudo, intitulado ‘Infraestrutura Hídrica no Século 21: Políticas de Gestão de Ativos Inteligentes e Climatizadas’, foi concluído por Tamer E. El-Diraby, Professor da Universidade de Toronto – Canadá, no departamento de engenharia civil e mineral.

Embora a rede de distribuição de água de Toronto atenda a aproximadamente 3,6 milhões de pessoas, o estudo afirma que, devido a tubulações danificadas e com vazamentos, 10 a 15% dessa água é perdida pelas tubulações diariamente. No entanto, em algumas áreas, a taxa de vazamento pode ser muito maior, diz a RCCAO.

“Relatórios de consultores que realizaram avaliações reais mostram que as taxas em Ontário podem chegar a quase 40%. Uma análise para a cidade de Smiths Falls estimou que as taxas entre 2003 e 2019 variaram entre 41 e 67%”, disse a RCCAO.

“A perda de água não contabilizada na cidade é de 10% ou menos, e está associada a descarga de adutoras para fins de manutenção, bem como quaisquer vazamentos que possam estar no sistema. A idade média das adutoras de Toronto é de 61 anos. Onze por cento têm entre 80-100 anos e 13% têm mais de 100 anos”, segundo Lou Di Gironimo, Gerente Geral da Toronto Water.

De acordo com a RCCAO, uma pesquisa realizada em 2018 em 308 concessionárias de água na América do Norte mostrou que a idade típica de uma tubulação com falha é de 50 anos.

“A cidade experimenta uma média de 1.400 interrupções de canalização de água anualmente e substitui cerca de 35 a 50 quilômetros de adutoras de água a cada ano, o que significa que está trabalhando com o pressuposto de que a vida útil de uma adução de água é de 110-166 anos”, disse a RCCAO. A cidade afirma ter implementado vários programas para ajudar a reduzir a perda de água. 

Rede de Distribuição

Essas melhorias incluem um plano de 10 anos, colocado em prática em 2020, para ver $ 2,2 bilhões em melhorias de capital para melhorar a rede de distribuição e a substituição em 2015 de mais de 470.000 medidores de água em residências e empresas. A diretora executiva da RCCAO, Nadia Todorova, chama a perda de água de “alarmante”.

“O estudo confirma que nossa infraestrutura de água está envelhecendo e precisa urgentemente de reparos. É incrivelmente ineficiente e está, quase sozinho, derrotando nossos objetivos de conservação de água, pois a água potável tratada nunca chega às torneiras por conta das tubulações com vazamento”, disse Todorova.

El-Diraby diz que Toronto precisa “manter o curso” e “preservar o valor de seus ativos de infraestrutura hídrica”. E segundo ele “Devemos nos virar para enfrentar os desafios futuros. Se baixarmos a guarda, as repercussões serão muito maiores do que a simples questão de ativos em ruínas”.

Fonte: CTV News – Toronto

Traduzido e adaptado por Renata Mafra

renata@saneamentodeagua.com.br

 

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?