Cagece alerta sobre utilização correta do sistema de esgoto

Não destinar resíduos sólidos e águas pluviais para redes de esgotamento sanitário estão entre as principais orientações da companhia de Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) acerca do bom funcionamento das redes. As práticas corretas influenciam diretamente na promoção da saúde e na preservação do meio ambiente.

Segundo Petrônio Heleno, gerente do macrossistema da Cagece, a rede de esgoto é dimensionada para receber apenas esgoto doméstico, ou seja, ela não foi feita para operar outros tipos de material. Portanto, ele ressalta que levantar a tampa do poço de visita para jogar lixo é uma prática extremamente nociva. “O esgoto pode, inclusive, voltar para dentro da própria residência de quem realiza a prática indevida, e ainda provocar extravasamentos em vias públicas”, alerta.

Além de buscar sensibilizar a população sobre a utilização correta do sistema de esgotamento sanitário, a Cagece também realiza, continuamente, em Fortaleza, capital do Ceará, manutenções preventivas nos coletores de grande diâmetro, responsáveis por encaminhar para tratamento o esgoto produzido pela população.

Durante a execução dos serviços de limpeza pela companhia de saneamento cearense, diversos materiais são retirados das tubulações de esgoto, tais como areia, garrafa pet, sacos plásticos, absorventes, preservativos, tapete, colchão, televisor e outros.

Até o final do ano, cerca de R$ 4,2 milhões de reais devem ser investidos para retirada de todo material considerado inadequado das redes do macrossistema de esgoto da capital cearense. Até dezembro, a Cagece prevê a retirada de aproximadamente 6 mil toneladas de resíduos sólidos do coletor chamado Interceptor Leste, localizado na orla marítima da cidade.

Saiba mais
Só neste primeiro semestre de 2018, a Cagece já retirou mais de 1.300 toneladas de resíduos sólidos da rede de esgotamento sanitário de Fortaleza. Além da capital, a companhia também realiza limpezas nos outros municípios onde atua, assim como no interior do estado.

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Confira também nossas publicações

Veja todas nossas
edições anteriores