1º Desafio Manancial/Cedae tem dez startups inscritas

Trabalhos vão desenvolver soluções em reflorestamento ambiental, insumos químicos, resíduos sólidos e crédito de carbono

Com informações de Cedae

Dez startups estão inscritas para o 1º Desafio Manancial/Cedae. Elas poderão propor e desenvolver soluções tecnológicas para os setores de saneamento e meio ambiente. Os trabalhos serão avaliados por comissão julgadora e poderão ser incubados pela Companhia. O Manancial, centro de inovação socioambiental da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae), vai selecionar e acelerar projetos baseados em quatro temas: soluções inovadoras para reflorestamento ambiental; otimização do uso de insumos químicos para reduzir o custo do tratamento de água; alternativas inovadoras para tratar resíduos sólidos; e estratégias para reduzir a emissão de gases de efeito estufa em todas as unidades da Cedae, a fim de contabilizar créditos de carbono.    

Os trabalhos poderão ser escolhidos por um comitê técnico para receber apoio financeiro de até R$ 100 mil. Os desenvolvedores devem apresentar propostas de soluções, produtos e serviços na forma de projetos de novos processos, aplicações, programas, interfaces programáveis de aplicativos, sistemas de informação, tecnologias emergentes e outras ferramentas relacionadas.

“Estamos muito felizes por termos inscrições confirmadas em cada um dos quatros temas propostos no 1º Desafio. Agora vamos descobrir se os projetos são viáveis e desenvolvê-los junto com as startups. Os trabalhos podem significar mudanças importantes na forma da Cedae trabalhar”, diz Aline Rodovalho, gerente de ESG e Inovação da Companhia. 

Próximos passos

De acordo com o edital do 1º Desafio Manancial/Cedae, os projetos passarão por uma semana de ideação, de 6 a 10 de junho, que representa um período de mentorias, imersão nos setores da Cedae para entendimento dos desafios e formulação de propostas finais após sessões de design de solução. A partir do dia 6 de setembro, os trabalhos escolhidos estarão aptos à Fase de Aceleração e terão até um ano inteiro para desenvolvimento e validação do Produto Mínimo Viável (MVP).

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Confira também nossas publicações

Veja todas nossas
edições anteriores