Maioria dos contratos de saneamento não possui metas, diz estudo

Folha de São Paulo
12/12/2019

Análise considerou 1.080 contratos firmados na região Sudeste

Pelo cano Mais da metade dos contratos entre companhias estaduais de saneamento básico e municípios não têm metas claras para aprimorar a prestação do serviço. A conclusão é de levantamento do FGV Ceri (Centro de Estudos em Regulação e Infraestrutura) após a análise de 1.080 contratos no Sudeste.

Reflexão Firmado sem licitação, esse tipo de contrato é um dos principais pontos em debate no projeto do marco do saneamento. O texto prevê sua gradual extinção.

Régua O pior resultado encontrado pelo estudo foi da Cedae (RJ), em que 98% dos contratos estão sem metas. Na Copasa (MG) o problema aparece em 70% dos casos. Sabesp (SP) e Cesan (ES) estão na outra ponta, com cerca de 80% dos contratos adequados.

Outro lado Procurada, a Cedae diz que vem trabalhando na adequação dos contratos que não possuem metas, mas a ação depende também do executivo municipal.

Com Filipe Oliveira e Mariana Grazini

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?