Deso alerta que separação das redes de água evita dano à saúde e ao meio ambiente

Portal do Saneamento Básico
15/04/2020

É importante que a população itabaianense saiba que até hoje a água da chuva e a do esgoto seguiam juntas pela mesma tubulação para os poços receptores da cidade.

E através da obra que está sendo implantada haverá uma tubulação específica para a água pluvial e outra para a rede de esgotamento sanitário. Portanto, é preciso que os moradores façam essa separação para que não sofram as consequências, por exemplo, em momentos de fortes chuvas”. A orientação é do diretor de Meio ambiente e Expansão da Deso, Gabriel Campos, em recentes entrevistas a profissionais de comunicação do município de Itabaiana.

A obra à qual Gabriel se refere é a de implantação da rede de drenagem pluvial e revitalização do sistema de esgotamento sanitário que está sendo executada pela Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) no município de Itabaiana, através do programa Águas de Sergipe, financiado pelo Banco Mundial. Os serviços estão bem adiantados e devem ser concluídos até o final deste mês. Em muitas calçadas, a Deso já está deixando uma caixinha de concreto para que os moradores já possam ir fazendo a ligação da forma adequada.

“Se as pessoas não fazem a separação da tubulação em seus imóveis, deixando o esgoto e a água da chuva seguindo para a mesma rede, vão estar contaminando a água que consomem e, esse esgoto em momentos de grande quantidade de chuva, vai acabar voltando pelos ralos das pias e do banheiros, provocando a proliferação de doenças”, alertou o engenheiro.

Gabriel explicou que os sistemas devem funcionar de forma independente dentro das residências para garantir a destinação correta dos dejetos, evitando, ainda, a contaminação da água da chuva que vai para o Açude da Marcela, e posteriormente, para os lençóis freáticos que passam pelos pontos de captação de água para o abastecimento da cidade. “Atualmente, tanto parte dos rejeitos, quanto da água da chuva são levados para o Açude da Marcela, que já enfrenta um grande processo de poluição”, informou. Com a intervenção da Deso, o esgoto passará a ser destinado direto à estação de tratamento e os recursos hídricos serão canalizados para a estação elevatória, já em operação.

As redes de esgotamento recolhem o esgoto dos imóveis e destina para as estações de tratamento, que devolvem a água limpa para a natureza, e são de responsabilidade da Deso. Já a rede de drenagem pluvial é um equipamento público, gerido pela Prefeitura para o escoamento das águas das chuvas que, depois de captadas por galerias, são lançadas no ribeirão ou córrego.

Gabriel Campos ressaltou que tão logo a obra de micro e macrodrenagem seja concluída, a Deso fará um trabalho de conscientização na cidade de Itabaiana. “A gente não vai simplesmente acabar a obra e já começar a operar. Vamos passar um período realizando testes na rede de esgotamento que está sendo implantada e solicitaremos às pessoas que encarecidamente façam a ligação das redes em suas residências da maneira adequada”, frisou, ao acrescentar que a rede que deve ir para a caixinha de esgoto da Deso localizada na frente dos imóveis é a da água que sai dos ralos da cozinha, pia, chuveiros e vasos sanitários.

“A Deso está fazendo a parte dela com a implantação da rede de esgoto, mas esse serviço depende, também, da consciência da população itabaianense em fazer a ligação correta da rede de esgoto em nossa caixinha que fica na porta de suas casas, e não permitindo que a água pluvial seja ligada nessa mesma caixinha. É muito importante que cada morador de Itabaiana cumpra com o seu papel”, disse Gabriel.

Uma rede moderna

A estação de tratamento de esgoto da Deso é a mais moderna em operação no Estado de Sergipe atualmente. Provida de desinfecção com o uso de ultravioleta para matar realmente bactérias e vírus e devolver o esgoto tratado em uma situação quase potável.  “Não que a água que sai da estação possa ser consumida para beber, mas ela sai em um teor que quando chega à natureza não é nocivo”, explicou Gabriel Campos.

O projeto de micro e macrodrenagem da Deso engloba cerca de 3,5 mil ligações no centro da cidade de Itabaiana e, como cria sistemas unitários, permitirá que os dejetos da rede de esgotamento deixem de ser descartados no Açude da Marcela. Um problema causador de grandes transtornos aos moradores da cidade, pois toda a sujeira e mau cheiro do esgoto acabam retornando para dentro de suas casas.

Fonte: 93 Notícias.

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?