Casal encontra irregularidades no consumo de água na parte alta de Maceió

A Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) efetuou, na última sexta-feira (26), mais uma atividade dentro de seu Programa de Combate a Perdas: uma vistoria nas redes de distribuição em três ruas do conjunto Dubeaux Leão, na parte alta de Maceió, com o objetivo de identificar perdas de pressão, vazamentos não visíveis e irregularidades no consumo de água.

“Nossa pretensão é reduzir perdas, sejam elas visíveis ou não, para melhorar a prestação de serviço. Ao mesmo tempo, isso vai significar melhoria na arrecadação da empresa e mais investimentos para a população”, acrescentou o vice-presidente de Gestão Operacional da Companhia, Francisco Beltrão, que participou da atividade juntamente com os profissionais da Unidade de Negócio Benedito Bentes e da Gerência de Produção e Desenvolvimento Operacional (Gedop).

Atualmente, as perdas de água em Alagoas chegam a 51%. O número é considerado alto e, por isso, segundo o vice-presidente, a Casal elegeu 2018 como “o ano de combate a perdas”. Ele também reforçou que, desse total, a maioria das perdas ocorre devido a irregularidades no consumo, por meio de ligações clandestinas e de by pass (conhecido como “gato”), e não necessariamente por conta de vazamentos visíveis.

“É importante retirar os vazamentos o quanto antes, trabalhamos com o prazo máximo de 48 horas para isso. Porém, as maiores perdas ocorrem por conta da clandestinidade. Queremos que as pessoas se regularizem, que voltem para a Casal, até porque, em caso de flagrante de irregularidade, há punição”, apontou Francisco Beltrão.

O valor mínimo da multa, em caso de ligação clandestina, é de R$ 700. Quando ocorre o flagrante, a Casal também desmancha a irregularidade e o morador fica com o abastecimento suspenso até que procure a empresa para se regularizar.

Na atividade desta sexta-feira (26), no conjunto Dubeaux Leão, foram vistoriados 92 imóveis, em 759 metros de rede, encontrados 2 vazamentos, 2 by passes (“gatos”) e feita uma notificação de cobrança.

Como funciona o trabalho

Durante a ação de campo, os profissionais da Casal que trabalham no Programa de Combate a Perdas utilizam o geofone, que permite ouvir o fluxo da água em canos que façam parte do by pass ou da ligação clandestina. Desse modo, eles sabem exatamente onda fazer a escavação.

Por outro lodo, o programa funciona da seguinte forma: primeiro, é selecionada a área de atuação e verificado, um dia antes, se há pressão necessária para que ocorram os trabalhos de manometria e geofonamento; depois de concluída esta etapa, são impressos os overlays e planilhas de dados cadastrais e de sinistros na rede; em seguida, todos os casos encontrados na rede são georeferenciados pelo programa open câmera e repassados para os setores responsáveis (comercial ou operacional); na quarta etapa, os setores responsáveis trabalham solucionando os casos repassados que são emitidos, com registros de atendimento e ordens de serviços, com um prazo de 72 horas para conclusão dos; por último, os dados operacionais de redes alimentam os programas de cadastros técnico e georeferanciamento.

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?