Projetos que combatem seca com tecnologia terão piloto no sertão nordestino

Por Folha de São Paulo

21.out.2021 às 14h18

 

Lab Água, da Votorantim, apoiará quatro iniciativas na Serra do Inácio, região entre Pernambuco e Piauí

 

Quatro projetos com soluções para enfrentar a seca no semiárido foram selecionados no Lab Água, programa da Votorantim Energia e do Instituto Votorantim. As iniciativas incluem melhoria do acesso à água e soluções de convivência com a escassez hídrica.

São elas GeoGO (Brasília, DF), SDW (Salvador, BA), Versati (Campinas, SP) e o Instituto Nacional do Semiárido – Insa (Campina Grande, PB). Todas receberão capital semente, no valor total de R$ 230 mil, para validar seus projetos na Serra do Inácio, divisa entre Pernambuco e Piauí, a partir de novembro deste ano.

O GeoGO propõe utilizar torres de eólicas da Votorantim Energia para captar água de chuva para consumo da população e excedente destinado ao aquífero. O projeto-piloto deverá captar 400 mil litros de água, suficiente para abastecer 45 pessoas por três meses.

O purificador de água Aqualuz, da SDW, utiliza método de desinfecção a partir da luz solar e purifica a água para consumo humano. O piloto inclui a instalação de 20 unidades na Serra do Inácio para impactar de 60 a 100 pessoas.

O Insa tem uma solução de esgotamento sanitário rural, com produção de água de reúso para irrigação na agricultura familiar. Integra coleta e tratamento de esgoto ao reuso de nutrientes por meio de um ciclo de desenvolvimento sustentável. A prototipação, junto a cinco famílias, será feita em dois meses.

Já a Versati desenvolveu um purificador microbiológico de água para uso doméstico que proporciona água de qualidade a R$ 0,12 por 20 litros, sem custos com instalação hidráulica, manutenção, trocas de refis, adição de produtos químicos ou eletricidade.

As organizações integram as 20 escolhidas para a primeira edição do LabÁgua. Todas foram aceleradas nos últimos dois meses, em programação focada em seu desenvolvimento e adaptabilidade ao território, sob mentoria de especialistas convidados e da própria companhia.

Diante dos problemas hídricos no país e da escassez de chuva nos últimos meses, a Votorantim entende que o uso de novas tecnologias é um caminho exitoso para enfrentar o problema.

“O ecossistema de água e saneamento não é tão maduro no país quanto outros, como healthtechs ou fintechs”, diz Juliana Mitkiewicz, responsável por inovação e P&D no Instituto Votorantim.

“Nosso objetivo é impulsionar soluções realmente inovadoras e de impacto de curto e longo prazos, que possam ser instaladas em vários territórios. Se queremos resultados diferentes, precisamos tentar alternativas diferentes”, completa.

“Criamos um programa inovador que integra outro agente nesse contexto: a própria comunidade”, diz Rômulo Vieira, diretor corporativo da Votorantim Energia. “Ela participará dessa etapa final, de prototipagem, ajudando a ampliar as condições de replicabilidade em outros territórios.”

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?