Pessimismo predomina na indústria de pequeno porte

Valor Econômico

Por Gabriela Ruddy — Do Rio

11/11/2021

Demanda por gasolina deve se aproximar dos níveis pré-pandemia já no quarto trimestre deste ano

A demanda por gasolina no Brasil deve retornar em 2022 aos níveis registrados em 2019, antes da pandemia, segundo o relatório de petróleo da consultoria S&P Global Platts para a América Latina. De acordo com a consultoria, com o relaxamento das restrições para combater a covid-19, o consumo do combustível no país, no quarto trimestre de 2021, deve ficar próximo aos registrados nos últimos três meses de 2019

No caso do diesel, o consumo no país está acima do registrado antes da crise sanitária e, segundo o relatório, o Brasil é o motor do crescimento da demanda pelo combustível na América Latina. A Platts aponta que, em agosto, as importações líquidas de diesel brasileiras tiveram o maior volume em 21 meses. A consultoria ressalva, no entanto, que o potencial de crescimento é desafiado pelos altos preços internacionais do petróleo.

A estimativa da consultoria é que o Brasil encerre o ano de 2021 com uma demanda média por diesel de 1,08 milhão de barris/dia, alta de 8% na comparação com 2020 e crescimento de 6,9% em relação à média de 2019. Já no caso da gasolina e do etanol, a projeção é de um consumo médio anual de 945 mil barris/dia, aumento de 9,2% em relação ao ano passado e crescimento de 3,2% sobre 2019.

Para a Platts, a retomada ocorre de maneira diferente em cada país da América Latina. A previsão é que a importação de diesel na região cresça em 2022, na comparação anual, enquanto a gasolina deve ter recuperação gradual e pode seguir abaixo do volume de 2019.

 

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?