Respeito ao meio ambiente, economia e incremento na gestão inauguram a nova etapa na Gestão Eletrônica de Documentos da Companhia de Saneamento de Goiás S/A, a Saneago. A partir deste mês, todos os processos administrativos da Companhia evitarão o uso de papel e serão produzidos ou convertidos em eletrônicos.

A nova versão do sistema de Gestão Eletrônica de Documentos (GED) agrega inovação e permite aos usuários o acesso a todos os conteúdos produzidos ou mantidos pela Empresa – ressalvados os sigilosos –, a produção de qualquer tipo documental, a formação de processos eletrônicos, conferindo maior controle e agilidade aos procedimentos administrativos. A gestão de documentos digitais permitirá, ainda, a internalização de uma nova fultura em gestão documental, já no formato eletrônico, tornando a Saneago uma das primeiras empresas de saneamento a ser totalmente digital.

O presidente da Companhia, Ricardo Soavinski, também destacou as vantagens da nova fase de digitalização de documentos. “São inúmeras as vantagens para a Empresa, como redução de custos e de espaço para armazenamento de documentos físicos, maior agilidade, transparência e produtividade, além de manter-se como uma empresa sustentável e parceira do meio ambiente.”

A diretora de Gestão Corporativa da Saneago, Silvana Canuto, lembrou a praticidade de lidar com documentos virtuais. “O acesso aos arquivos será possível com um simples clique no mouse, tornando-se, assim, a forma mais efetiva e transparente de acessos à informação, permitindo maior facilidade na busca e recuperação dos documentos, dando mais controle e eficiência na organização dos documentos da Empresa.”

Sustentabilidade

O fim das pilhas de papel com a Gestão Eletrônica de Documentos (GED) não é uma ação isolada de compromisso socioambiental. Combater o desperdício é, de fato, uma das marcas da estatal: ela tem melhor índice de perdas de água do Brasil, segundo aponta o Diagnóstico dos Serviços de Água e Esgotos 2018, relatório elaborado com base em dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS). O documento, divulgado no dia 10 de janeiro, destaca a companhia goiana como a única do país com volume de perdas abaixo de 30%. Naquele ano, enquanto a média nacional de perdas foi de 38,5%, a Saneago marcou 29,2%, sendo classificada na primeira posição entre as demais companhias de saneamento básico.

 

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on twitter
Share on facebook
Share on linkedin
Share on telegram

Confira também nossas publicações

Veja todas nossas
edições anteriores