Governos estaduais repassaram R$ 6bi para estatais em2020

Valor Econômico
03/09/2021

Por Mariana Ribeiro

Ao todo, 139 estatais estaduais recebem do ente controlador recursos para pagamento de despesas como de pessoal ou custeio

O repasse líquido dos Estados para suas empresas estatais somou R$ 6 bilhões em 2020, informou o Tesouro Nacional na ºterceira edição do raio-X das empresas dos Estados brasileiros, divulgada ontem. O painel traz informações de 302 empresas controladas pelos entes federados.

Ao longo de 2020, Estados transferiram para as estatais R$ 4,8 bilhões como reforço de capital e R$ 5,4 bilhões como subvenções. Por outro lado, receberam R$ 4,2 bilhões em dividendos dessas empresas. Assim, o resultado fiscal foi negativo para os entes. Além disso, Estados assumiram R$ 2,2 bilhões de passivos das estatais no ano.

Em 2020, só Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Goiás, Mato Grosso do Sul e Alagoas receberam mais recursos das estatais do que transferiram, de acordo com o Tesouro.

Segundo o boletim, 139 estatais estaduais (46% do total) são dependentes, ou seja, recebem do ente controlador recursos para pagamento de despesas como de pessoal ou custeio. Considerando o total de empresas analisadas, o Distrito Federal lidera o ranking de estatais por unidade da federação, com 26. É seguido por Rio de Janeiro, com 22, e Santa Catarina, com 18. O Rio apresenta o maior número de empresas dependentes, com 15. É seguido pelo Acre, com 12.

Em termos de segmentos, há mais empresas controlados por Estados nos setores financeiro (35), de saneamento (28) e habitação e urbanização (25). Já em relação ao critério dependência, o setor de habitação e urbanização possui o maior número de empresas dependentes (18), seguido por pesquisa e assistência técnica (17) e transporte (16).

Em 2020, 56% dessas empresas registraram lucro, e 44%, prejuízo. Em 2019, apenas 35% haviam registrado resultado negativo. Segundo o Tesouro, essa piora no resultado pode ser explicada pela inclusão na análise de um grupo de estatais em liquidação.

São 41 empresas nessa situação e 21 foram incluídas na base de dados de 2020. Outra possível explicação é que os resultados tenham sido afetados pela crise econômica ligada à pandemia.

O setor que apresentou o maior lucro no período foi o de energia, com um ganho total de mais de R$ 8 bilhões. É seguido pelos segmento de saneamento (R$ 5 bilhões) e financeiro (R$ 1,5 bilhão). Já o pior resultado foi registrado no setor de transporte, que acumulou prejuízos de cerca de R$ 10 bilhões, especialmente por causa das companhias de metrô.

 

 

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?