Caixa tem lucro de R$ 3,2 bi no 3º trimestre, com alta de 69,7% em um ano

O Estado de S.Paulo

Por Matheus Piovesana e Altamiro Silva Junior

18 de novembro de 2021

Banco público encerrou o período com empréstimos de R$ 842,3 bilhões, 11,3% a mais que no mesmo período de 2020

A Caixa Econômica Federal anunciou nesta quinta-feira, 17, lucro líquido de R$ 3,207 bilhões no terceiro trimestre de 2021, com crescimento de 69,7% em relação ao mesmo período de 2020, mas 48,8% menor que o segundo trimestre – o resultado do meses de abril a julho foi influenciado pela abertura de capital (IPO) do braço de seguros do banco público, que rendeu R$ 3,3 bilhões. No acumulado de janeiro a setembro, o resultado somou R$ 14,1 bilhões, aumento de 87,4% ante o mesmo período do ano passado.

A Caixa surpreendeu ao entregar no terceiro trimestre um dos maiores retornos entre os grandes bancos, de quase 20%, chegando a um número próximo ao do Itaú. Ao mesmo tempo, o banco público é o que tem a menor taxa de cobertura para fazer face a calotes.  

A carteira de crédito ampliada do banco público encerrou o terceiro trimestre em R$ 842,3 bilhões, crescimento de 11,3% em um ano. No demonstrativo de resultados, o banco destaca que entre julho e setembro concedeu R$ 118,1 bilhões em crédito para a população, 8,5% acima do segundo trimestre.

Entre os destaques da carteira de empréstimos está o aumento de 79,4% no crédito para o agronegócio em 12 meses, além da alta de 28,5% em crédito para pessoa jurídica, principalmente, para micro e pequenas empresas, e expansão de 8,7% em habitação.

No terceiro trimestre, a Caixa registrou crescimento de 429,1% nos empréstimos para o setor de saneamento e infraestrutura e de 201,0% em crédito comercial para empresas, principalmente para as menores, destaca o banco em seu balanço.

Na inadimplência, a taxa para atrasos acima de 90 dias fechou o terceiro trimestre em 2,16%, abaixo dos 2,46% do segundo trimestre, mas acima do nível de um ano atrás, em 1,87%. As despesas com provisão para devedores duvidosos somaram R$ 2,975 bilhões no trimestre, alta de 15% ante o encerramento de julho.

A Caixa encerrou setembro com R$ 2,675 trilhão em ativos administrados, expansão de 5% em um ano, incluindo aqui os recursos do FGTS. Descontando estes números, os ativos somaram R$ 1,488 trilhão.

O retorno patrimonial da instituição subiu de 14% para 19,78% em um ano, superando o do Bradesco, empatando com o Itaú e ficando atrás somente do Santander Brasil. Já o do Banco do Brasil estava no fechamento de setembro no patamar em que a Caixa registrava há um ano. Mas há o outro lado da moeda: o BB se mostrou muito mais cauteloso no provisionamento para o crédito do que a Caixa. O índice de cobertura do BB ficou em 323%, ou seja, para cada R$ 1 em atraso acima de 90 dias, o banco tem R$ 3,23 para cobrir a perda, enquanto a Caixa tem R$ 2,05 – é o menos coberto dos cinco maiores bancos brasileiros.

Expansão no crédito imobiliário

A carteira de crédito imobiliário da Caixa, a principal do banco, subiu 8,7% em um ano, e chegou a R$ 542,024 bilhões no terceiro trimestre de 2021. Em relação ao segundo trimestre, o avanço foi de 2,4%.

Apesar de manter o posto de mais representativa do banco, a carteira de crédito habitacional da Caixa perdeu participação na carteira total tanto no comparativo anual quanto no trimestral. No trimestre encerrado em setembro do ano passado, respondia por 65,9% do portfólio da instituição, e no período fechado em junho deste ano era 64,9% do total. No último trimestre, essa fatia caiu para 64,3%.

Segundo a Caixa, do saldo atual da carteira habitacional, R$ 332,9 bilhões foram concedidos com uso de recursos do FGTS, alta de 7,1% em 12 meses. Outros R$ 208,8 bilhões tomaram como base os recursos do Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE), alta de 11,6% no mesmo intervalo. Apenas no terceiro trimestre, as contratações com o uso do SBEP somaram R$ 24,2 bilhões, alta de 47,7% em base anual.

O banco concedeu R$ 12,4 bilhões em financiamentos no terceiro trimestre dentro do Casa Verde e Amarela, programa habitacional do governo federal, distribuídos por 88,8 mil novas unidades. De janeiro a setembro, foram 267,1 mil unidades financiadas pelo banco através do programa, com saldo de R$ 36,5 bilhões em crédito.

Contas digitais

O Caixa Tem, aplicativo de contas digitais da Caixa que foi impulsionado pelo pagamento do auxílio emergencial, chegou a mais de 109 milhões de poupanças digitais abertas em setembro.

No ano, a base do Caixa Tem ganhou mais 6,9 milhões de dispositivos e processou 1,8 bilhão de transações eletrônicas e financeiras. Ao todo, foram 66,4 milhões de downloads do aplicativo.

Segundo a Caixa, os cartões de débito virtuais do banco realizaram 8,1 milhões de transações no terceiro trimestre, com R$ 1,3 bilhão em recursos movimentados. Em 2021, até setembro, foram 23,9 milhões de transações, com volume financeiro de R$ 3,8 bilhões.

Após o fim do pagamento do auxílio emergencial, o Caixa Tem está ganhando novas funcionalidades. É através dele que o banco está concedendo empréstimos em seu programa de microcrédito, com concessões entre R$ 300 e R$ 1.000. As primeiras solicitações puderam ser feitas em 27 de setembro. Em seus relatórios de resultado, a Caixa não traz mais detalhes sobre o volume já concedido.

Ao todo, das quase 4,5 milhões de transações feitas através dos sistemas da Caixa no terceiro trimestre, 2,8 milhões foram realizadas através de smartphones, queda de 4,7% em um ano. 

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?