Betim/MG e Copasa assinam termo que dará mais de R$ 30 milhões para o município 

Portal Saneamento Básico
20/09/2021

 

Dívida da Copasa com Betim se arrastava na Justiça; termo assinado garantirá recebimentos dos recursos via obras e investimentos que passam de R$ 30 milhões.

A prefeitura de Betim e a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) assinaram, na manhã da sexta-feira (17/9), um Termo de Ajustamento Municipal (TAM) que tem como objetivo sanar as pendências financeiras da concessionária com a cidade e garantir outros investimentos em áreas diversas. O encontro ratificou o diálogo entre o município e a companhia, que possuíam divergências judiciais.

Com a assinatura do termo, a Copasa vai ressarcir Betim em quase R$ 15 milhões referentes a obras públicas que eram de responsabilidade da concessionária, mas que foram realizadas pelo município, somados a multas ambientais já executadas e ao custeamento de auxílio social a famílias que tiveram prejuízos em razão da ausência de medidas de controle da companhia.

Além disso, o TAM estabelece à Copasa compromissos como, por exemplo, o licenciamento ambiental da barragem Vargem das Flores com plano emergencial de segurança e soluções para a garantia de descarga ou nível de volume de água da represa, atendendo às condições de segurança, dentre outros pontos. O texto também prevê mecanismos para prevenir e minimizar as paralisações nas estações de tratamento de esgoto.

Caberá à Copasa ainda, com o auxílio do município, a identificação e correção do lançamento de esgoto clandestino na rede pluvial, bem como o de lançamento de águas pluviais na rede de esgoto, além da construção de ramais domiciliares para a população carente.

Já o município se comprometeu a analisar e liberar autorizações e licenciamentos com celeridade, além de fiscalizar e regularizar a área da Vargem das Flores, conforme a legislação federal.

Ressarcimento milionário

Durante a reunião, a diretoria da Copasa informou suas resoluções para Betim. Conforme a apresentação, os empenhos da concessionária, incluindo o ressarcimento aos cofres municipais, o pagamento de outras multas e novas intervenções de infraestrutura, chegam a R$ 30.506.839.

O diretor-presidente da Copasa, Carlos Eduardo Tavares explica que esse termo assinado deu solução não apenas para algumas demandas judiciais que existiam entre as partes, mas trouxe também soluções que vão beneficiar diretamente o cidadão.

“Esses pouco mais de R$ 30 milhões que foram pactuados com o município vão servir de apoio para a construção de moradias populares de famílias que estavam no entorno da represa Várzea das Flores, mas também para outros investimentos feitos na região do Citrolândia. Parte desse recurso será utilizado ainda em regiões mais carentes, com a interligação de imóveis na rede pública de esgoto”, explica o diretor-presidente.

Ele ressalta ainda que a Copasa conseguiu demonstrar para a gestão municipal que o intuito é construir soluções. “O que a Copasa e a prefeitura fizeram foi envidar os esforços para aplicar recursos que melhorem a vida do cidadão e, em paralelo, dar soluções às questões judiciais”, pontuou Tavares.

“Nosso primeiro mandato inovou quando começou a aplicar penalidades à Copasa por fazer lançamento de esgoto sem tratamento em nossos cursos d’água. Respeito à água é fundamental para a vida. Foram milhões em multas aplicadas e esses processos se arrastaram sem pagamento por parte da Copasa. Outras infrações similares também foram cometidas. Então, esse TAM vem fechar a questão da melhor forma possível, com a Copasa se comprometendo a efetuar os pagamentos devidos para minimamente compensar a sociedade pelos danos causados”, afirmou o secretário municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Ednard Tolomeu.

O procurador-geral do município, Bruno Cypriano, destaca que o termo firmado com a Copasa é inédito no estado. “Depois que nós judicializamos, conseguimos melhorar a interlocução com a concessionária e conseguimos um consenso até então inédito com a companhia, que vai transferir um recurso milionário a Betim para ressarcir o município, além de abater outras dívidas que recairiam sobre nós indevidamente. Espero que essa tratativa, esse diálogo, essa convergência sirva de exemplo para outras concessionárias que se relacionam conosco”.

Fonte: EM.

 

 

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?