Prisão de Temer tumultua política e ameaça reforma

Por Raphael Di Cunto e Marcelo Ribeiro – Valor Econômico

22/03/2019 – 05:00

A prisão do ex-presidente Michel Temer acirrou ontem a tensão existente entre o presidente Jair Bolsonaro e a base de partidos aliados ao governo no Congresso. Além de Temer, a Polícia Federal prendeu o ex-ministro Moreira Franco, padrasto da mulher do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), com quem Bolsonaro e seus filhos têm travado permanente disputa nos bastidores de Brasília. O caso tomou ares de crise e, agora, ameaça a tramitação da reforma da Previdência.

Após a prisão de Moreira Franco, Maia cancelou todos os compromissos agendados para ontem. Ele está irritado com o presidente desde o fim de semana, quando o convidou para almoçar, em Brasília, e ao presidente do STF, José Dias Toffoli. Bolsonaro levou 20 ministros e assessores e, assim, evitou que o encontro fosse reservado. Ao sair da reunião, escreveu nas redes sociais ataques à “velha política” e à pressão por cargos.

O desconforto escalou nos dias seguintes, quando o vereador Carlos Bolsonaro (PSL-RJ) criticou articulações de Maia sobre a reforma. O presidente da Câmara se queixou com o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, mas nada mudou. Ontem, Carlos postou no Instagram fotos de Maia e do ministro da Justiça, Sérgio Moro, acompanhadas de uma indagação: “Por que o presidente da Câmara anda tão nervoso?”, referência ao fato de Maia ter suspendido a tramitação do pacote anticrime do ministro.

Por causa de atritos com Moro, bolsonaristas procuraram intimidar Maia nas redes socias, criando a “hashtag” #RodrigoRespeitaSergioMoro” e mencionando inquéritos na Justiça Federal a que o presidente da Câmara responde.

Ontem, Maia, que vinha negociando pessoalmente apoios para a reforma da Previdência, disse a aliados que, a partir de agora, terá papel apenas “institucional” em relação ao tema e, portanto, ao encaminhamento da tramitação da proposta. O presidente da Câmara tem servido como porta-voz da reclamação de deputados por espaço no governo. Tornou-se alvo de Bolsonaro, que faz o discurso de que não aceitará o “toma-lá-dá-cá” e que governará com a pressão da sociedade sobre o Congresso, por meio das redes sociais.

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account