CASAN começa a investir mais de R$ 40 milhões em Videira

Para recuperar um passivo com a comunidade de Videira, a CASAN está investindo mais de R$ 40 milhões nos sistemas de abastecimento de água e na implantação de esgotamento sanitário do município.

 No ano passado a empresa investiu R$ 1 milhão na aquisição e instalação de três novas bombas de maior capacidade para a Estação de Recalque de Água Bruta do Sistema, cujo quadro elétrico também foi totalmente remodelado. Este investimento permitiu o aumento de 20% no volume de água captada no Rio do Peixe.
Nos próximos 60 dias deve começar a substituição das bombas nas cinco Estações de Água Tratada do Sistema, também com troca da parte elétrica, garantindo ainda mais água ao município. Em fase de contratação, esta obra representa um investimento estimado de R$ 500 mil.
As melhorias no sistema de abastecimento de água também contemplam a substituição de 18 quilômetros da rede de distribuição, em trechos considerados subdimensionados. Com maior capacidade, as tubulações vão poder trabalhar com mais pressão e levar mais água à população. Os recursos previstos apenas neste investimento chegam a R$ 2,3 milhões.
“Estamos atentos aos pleitos históricos da comunidade e às justas reivindicações lideradas pelo prefeito Dorival Carlos Borga e por isso não vamos poupar esforços para recuperar um passivo que a Companhia tinha com Videira”, diz o engenheiro Valter José Gallina, diretor-presidente. “Já iniciamos as mudanças no ano passado, com a troca de bombas, e posso assegurar que 2017 será um ano de relevantes investimentos da CASAN no município”.
Dentro do Plano de Investimento da CASAN, Videira será uma das cidades catarinenses mais beneficiadas, o que também contribui para oxigenar toda a economia da região e amenizar pontualmente a crise que afeta todo o país.
Esgotamento sanitário
Somente o Sistema de Esgotamento Sanitário (SES), cujo edital de licitação para escolha da empresa que vai executar a obra será lançado em breve, receberá R$ 36,5 milhões, viabilizados com recursos obtidos pela CASAN junto à Agência Francesa de Desenvolvimento (AFD).
 A obra vai beneficiar diretamente 17 mil habitantes, levando mais saúde e qualidade de vida a pelo menos 42% da população urbana do município. Serão assentados 37 mil 452 metros de rede coletora, além de 5 mil 715 metros de emissários, tubulação de maior diâmetro. Serão 4.771 ligações domiciliares e cinco Estações Elevatórias de Esgoto, que levarão os efluentes para tratamento na Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) com vazão para até 55 litros por segundo. A obra tem prazo de conclusão de 24 meses a partir do início dos trabalhos.
O engenheiro Rodrigo Maestri, gerente de Operações da Companhia, lembra que a população terá de ser paciente com as obras de esgoto, que costumam alterar a rotina do trânsito e abrir valas em calçadas.
“No passado recente as comunidades costumavam rejeitar a obra de esgoto porque é cara e gera transtornos, mas cada vez mais a sociedade percebe os benefícios permanentes à saúde e à valorização do imóvel”, diz Maestri. Por esse motivo, a empresa retardou a substituição dos 18 quilômetros da tubulação de água. “Assim, poderemos fazer uma obra só, evitando ao máximo o transtorno que uma obra sempre gera”.

Fonte: Assessoria de Comunicação da Casan

 

AESBE - Associação Brasileira das Empresas Estaduais de Saneamento

SCS - Quadra 01 - Bloco H - Edifício Morro Vermelho - 16º andar - CEP: 70399-900 - Brasília-DF - Tel/Fax.: 55 61 3022-9600

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account